Fóruns de Discussão Temáticos sobre Refugiados

Enquadramento

No âmbito das actividades formativas o Conselho Português para os Refugiados (CPR), organização não governamental para o desenvolvimento (ONGD), criou em 2007 o curso de sensibilização sobre "Asilo e Refugiados" na modalidade de e-Learning.

A experiência da formação via e-learning, nomeadamente a possibilidade dos participantes permanecerem em contacto em redes de trabalho virtuais, trouxe a ideia de experimentar o lançamento de fóruns via Internet.

O financiamento atribuído ao CPR pelo Fundo Europeu para os Refugiados (FER) e Ministério da Administração Interna (MAI), através do projecto "Sociedade Civil e Refugiados" permitirá desenvolver, no decorrer de 2010, esta actividade inovadora associada ao e-learning, que são os fóruns de discussão temáticos.

 

Objectivos

  • Geral:
      • Debater temas específicos do domínio “asilo e refugiados”.
  • Específicos:
      • Criar hábitos de reflexão e pensamento crítico sobre os temas abordados;
      • Produzir conhecimento novo sobre os assuntos tratados;
      • Estimular os participantes a debaterem e a aprofundarem temas relacionados com os refugiados na sua vida quotidiana, profissional e académica.
 

Destinatários

Os Fóruns dirigem-se a todos/as os/as interessados/as nos temas propostos, nomeadamente: técnicos/as que lidam com requerentes de asilo, refugiados/as e/ou imigrantes, estudantes, professores/as, jornalistas, potenciais voluntários/as entre outros/as.

Será dada preferência a participantes que já tenham concluído um curso SAR, uma vez que detêm conhecimentos gerais sobre refugiados e estão aptos a utilizar a plataforma informática Moodle, onde decorrerão os Fóruns.

Cada Fórum terá um número máximo de 20 participantes.

 

Acesso e Inscrição

Não são necessários pré-requisitos especiais. Os/as interessados/as devem:
  • Possuir conhecimentos básicos de informática na óptica do utilizador (Internet, Word, etc.);
  • Ter acesso diário à Internet durante o período do curso;
  • Dominar fluentemente o idioma português;
  • Ter disponibilidade de horário para participar no forum (7,5 horas semanais, num total de 2 semanas).

Estas acções são financiadas pelo Fundo Europeu para os Refugiados (FER) e Ministério da Administração Interna (MAI), não envolvendo custos para os/as participantes.

A participação está condicionada a uma pré-inscrição (manifestação de interesse) e a uma posterior confirmação da aceitação pelo CPR. Posteriormente é preenchida uma ficha de inscrição on-line.

A selecção será feita por ordem de chegada das pré-inscrições e mediante o número máximo de participantes em cada Fórum (20). Como já foi dito será considerado factor preferencial a participação numa das anteriores acções do Curso SAR.

 

Duração e Funcionamento Geral

Cada Fórum está calculado para uma duração total de 15 horas, incluindo as actividades individuais de pesquisa e leitura, distribuídas uniformemente por 2 semanas. A carga semanal será de 6 horas em modo assíncrono (cada aprendente escolhe o horário que for mais conveniente) e sensivelmente 1-2 horas em modo síncrono.

Os Fóruns decorrerão na plataforma Moodle, que já é utilizada para o e-learning. Nesta plataforma serão abertos os espaços de discussão e colocados os materiais informativos.

A primeira semana será dedicada ao debate geral e a segunda semana destina-se a linhas de discussão específicas. No final do forum é colocado pelo/a tutor/a um resumo geral das discussões e a documentação reunida.

No decorrer do Fórum haverá pelo menos uma sessão síncrona, em sala virtual. Esta sessão implica que os participantes estejam ligados à Internet em simultâneo, a um dia e hora previamente divulgados.

Para que não sejam excluídos quaisquer participantes por motivos técnicos, não são necessários requisitos especiais de acesso à Internet ou de equipamentos.

A sala virtual funciona em regime de conferência de voz com a partilha de um "quadro branco" onde são projectadas apresentações e outros documentos, podendo os participantes no uso da palavra utilizar um ponteiro e fazer anotações.

 

Temas e Calendário

Dos 3 Fóruns previstos para 2010, já foram realizados dois:

  • Refugiados da Guerra Civil de Espanha em Portugal: O caso de Barrancos – 10 a 21 de Maio;
  • Refugiados e Deslocados Ambientais: o lado humano das alterações climáticas – realizado no âmbito do IX Congresso Internacional do CPR, em 16 Novembro, com transmissão em webstreaming e acompanhamento através de uma sala virtual;
O terceiro Fórum:
  • A Reinstalação de Refugiados em Portugal realizar-se-à nos próximos dias 13, 14 e 15 de Dezembro de 2010

 

Programa, Tutoria e Materiais

O programa de cada Fórum é concebido por uma equipa do CPR, centrando-se nos temas previamente identificados. Tratam-se de temas para os quais o CPR tem vindo a reunir especialistas e documentação diversa, pelo que se espera potenciar o debate dos mesmos no contexto dos Fóruns.

O tema 1 começou a ser tratado pelo CPR no contexto da iniciativa “Refugiados de Ontem, Refugiados de Hoje”, que teve lugar em Barrancos no dia 17 de Junho de 2009 (enquadrada pelo projecto “Formar e Informar para o Asilo e Refugiados”, financiado pelo FER 2008). O tema revelou-se de uma grande riqueza e o CPR reconhece a necessidade de dar a conhecer esta questão particular da história contemporânea portuguesa, no domínio dos refugiados.

O tema 2 esteve interligado com as questões tratadas no IX Congresso Internacional do CPR, subordinado ao tema “Refugiados e deslocados ambientais: o lado humano das alterações climáticas”, realizado em Novembro na Fundação Calouste Gulbenkian (Lisboa). Aproveitaram-se, assim, as sinergias existentes, aprofundando-se o debate sobre este tema e dinamizando-se a participação no Congresso.

O tema 3 foi escolhido pela relevância da reinstalação de refugiados em Portugal. Com efeito desde 2006 que a reinstalação se tornou uma das medidas duradouras da protecção dos refugiados, tendo o Governo iniciado um programa de reinstalação, oficializado através da Resolução do Conselho de Ministros nº 110/2007 de 21 de Agosto, que prevê um programa anual de reinstalação de refugiados, criando “(…) condições para conceder anualmente, no mínimo, asilo a 30 pessoas”. A reinstalação “consiste na transferência de refugiados do seu país de asilo para um país terceiro, tendo este previamente acordado acolhê-los e conceder-lhes um estatuto formal, geralmente o de refugiado, com uma residência permanente e a faculdade de aquisição da nacionalidade”.

A dinamização de cada Fórum é da responsabilidade de um/a convidado/a especialista e de técnicos do CPR, que conjuntamente asseguram a moderação dos debates e da(s) sessão(ões) síncrona(s) e fazem a selecção dos materiais de apoio disponibilizados na plataforma (por correio é enviada uma versão impressa dos mesmos).

 

Emissão de Certificado

No final do Fórum será enviado a cada participante que tenha tido assiduidade regular um certificado de participação. As interacções participante/plataforma registadas automaticamente ao longo do Fórum – cliques, visualizações de páginas, exercícios de resposta fechada, número de contribuições (posts) nos debates/fóruns – constituirão a base principal de verificação da participação.

 

Plataforma Informática

A plataforma tecnológica utilizada designa-se por “Moodle” (www.moodle.org), sigla de “Modular Object-Oriented Dynamic Learning Environment”. É um sistema de gestão de ensino-aprendizagem a distância criado em 1999 por Martin Dougiamas, então administrador da “WebCT” (a plataforma comercial que nessa altura liderava o mercado) na Universidade de Curtin (Austrália).

A plataforma apresenta os recursos característicos e comuns a outro software de ensino-aprendizagem on line (fóruns, gestão de meios, testes, agenda, trabalhos, chat, sondagens/inquéritos, glossários, diário, wiki e testes). Os relatórios de utilização detalhados por cada formando/aprendente permitem o acompanhamento permanente dos esforços de aprendizagem. Através do módulo "Agenda/Calendário", a plataforma permite a gestão dinâmica dos cursos e a publicitação de eventos relevantes para aprendentes e tutores.

A interface é bastante intuitiva e “amigável” para os aprendentes. Tendo sido construída de forma modular desde o início, continua a ser desenvolvida, em regime de “open source” por dezenas de programadores, professores e pedagogos em todo o Mundo (http://docs.moodle.org/en/Credits).