VIII CONGRESSO INTERNACIONAL DO CPR
Em pleno século XXI, nesta cada vez mais "aldeia global", há ainda milhões de seres humanos que não têm escolha, nem de cidadania nem de um sítio para viverem. Vítimas de violações graves dos direitos humanos mais elementares ou apanhados no fogo cruzado das guerras, sem que o seu país de origem os possa ou queira proteger, eles tornam-se "cidadãos globais", são "cidadãos do mundo".
     "Refugiados: cidadãos do mundo" foi o tema do VIII Congresso Internacional realizado na Fundação Calouste Gulbenkian nos dias 26 e 27 de Novembro.
     Os congressos internacionais bienais do CPR iniciaram-se em 1994 e desde logo contaram com o apoio do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados, como seu parceiro estratégico e da Fundação Calouste Gulbenkian.
     Têm sido subordinados a temas relacionados com o sistema de asilo, a protecção internacional, os direitos humanos, a emergência humanitária, entre outros.
     O primeiro congresso, realizado em 1994, pretendeu levantar questões e informar a sociedade portuguesa dos seus deveres enquanto membro da União Europeia. O tema escolhido foi "Refugiados - Fortaleza Europeia: Exclusão ou Direito e Solidariedade?".
     Dois anos depois, em 1996, foram discutidas as questões ligadas às políticas de asilo em desenvolvimento na Europa, após a Conferência Inter-Governamental (CIG), colocando em debate o tema "Refugiados: Que Futuro na Europa Pós-96?".
     Em 1998, o III Congresso Internacional abordou o tema "Refugiados e Direitos Humanos", associando-se às comemorações do 50º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos, que decorria sob a égide da ONU.
     O Congresso Internacional de 2000 foi dedicado ao tema "Emergência Humanitária: Direito de Ingerência". A noção de ingerência por razões humanitárias, questão em pleno desenvolvimento, é controversa e tal facto ficou patente na diversidade de comunicações e opiniões proferidas por um conjunto de especialistas de diversas áreas.
     No V Congresso Internacional, realizado em 2002, foram escolhidos dois temas relevantes: "O Direito de Asilo e Política de Segurança" e a "Reconciliação Pós-Conflito", tendo em consideração as perspectivas internacional, europeia e da sociedade civil.
     O VI Congresso Internacional (24-25 Novembro 2004) surge num contexto de alargamento europeu e o tema escolhido foi: "O alargamento da União Europeia e a Protecção dos Refugiados".
     O último Congresso Internacional, realizado em Novembro de 2006, versou sobre os "Novos desafios para o século XXI" e contou com a participação de peritos nacionais e internacionais, membros do governo português, ONG's, entre outros.
     Desde o início das suas actividades que o CPR tem procurado dialogar com os dirigentes políticos no sentido de contribuir para se encontrarem as melhores soluções em matéria de asilo e refugiados. Com efeito, continua a promover e a participar em reuniões de trabalho especializadas, com autoridades governamentais e representantes da Comissão Europeia, com o objectivo de influenciar positivamente as políticas de asilo.
     Estes congressos fomentam importantes reflexões com o objectivo de se encontrarem as melhores soluções em matéria de asilo e refugiados.